Acerca de mim

A minha foto
Tudo o que quero e não posso, tudo o que posso mas não devo, tudo o que devo mas receio. Queria mudar o Mundo, acabar com a fome, com a tristeza, com a maldade.Promover o bem, a harmonia, intensificar o AMOR. Tudo o que quero mas não posso. Romper com o passado porque ele existe, acabar com o medo porque ele existe, promover o futuro que é incerto.Dar vivas ao AMOR. A frustração de querer e não poder!...Quando tudo parece mostrar que é possível fazer voar o sonho!...Quando o sonho se torna pesadelo!...O melhor é tapar os olhos e não ver; fechar os ouvidos e não ouvir;impedir o pensamento de fluir. Enfim; ser sensato e cair na realidade da vida, mas ficar com a agradável consciência que o sonho poderia ser maravilhoso!...

sábado, 2 de maio de 2015




 A RAPOSA E A TARTARUGA

Era uma vez uma velha raposa, que por ser já muito velha, não conseguia apanhar algo para comer.
A raposa estava com muita fome e fraca e andava pela floresta à procura de comida.
Ao passar junto a um lago, encontrou uma tartaruga que estava a apanhar sol para se aquecer.
A raposa, logo viu ali, uma refeição e pensou para si mesmo:
            - A tartaruga é lenta e eu posso apanha-la com facilidades. Hoje é o meu dia de sorte. Finalmente vou encher a barriga.
A raposa aproximou-se com muita cautela da tartaruga e quando já estava perto deu um salto, mas só agarrou a carapaça da tartaruga, pois a tartaruga que tinha visto a raposa, rapidamente se escondeu dentro da sua carapaça.
A raposa tentou tirar a tartaruga de dentro da sua casa. Mas não conseguia meter nos pequenos orifícios a sua longa boca, nem as suas garras.
Farta de tentar, sem nada conseguir, resolveu apelar para a inteligência, fazendo-se de boa e tentar convencer a tartaruga a sair da sua carapaça.
Disse então a raposa:
- Amiga tartaruga!... Está um dia tão bonito aqui fora!... Não quer vir apanhar um pouco de sol?
A tartaruga que não era nada burra respondeu:
- Sabe amiga raposa!... Eu apanhei um resfriado e não posso apanhar nem sol nem vento. É por isso que aqui estou metida dentro da minha carapaça.
A raposa rapidamente pensou e disse:
- Venha até cá, ou ponha a cabeça de fora para eu a examinar. Eu começo todas as ervas que curam as doenças e posso cura-te!...
- A tartaruga que era mais inteligente que a raposa respondeu:
- Sabe amiga raposa! Eu já sou muito velha, já vive muito e conheço todas as manhas dos animais e conheço bem a tua fama de matreira. Eu não estou doente. Sou lenta mas não sou burra. Se meter a cabeça de fora, tu aproveitas a oportunidade para me comeres. Vai procurar alimento noutro lugar que aqui não te safas.
A raposa vendo que a tartaruga era mais esperta do que ela, resolveu ir procurar algo mais fácil de se deixar apanhar para poder matar a fome.
E assim, com a sua inteligência e agilidade em se esconder dentro da sua carapaça, apesar de ser lenta a andar, a tartaruga salvou-se de uma morte certa.
Fim
Carlos Cebolo

            

Sem comentários:

Enviar um comentário