Acerca de mim

A minha foto
Tudo o que quero e não posso, tudo o que posso mas não devo, tudo o que devo mas receio. Queria mudar o Mundo, acabar com a fome, com a tristeza, com a maldade.Promover o bem, a harmonia, intensificar o AMOR. Tudo o que quero mas não posso. Romper com o passado porque ele existe, acabar com o medo porque ele existe, promover o futuro que é incerto.Dar vivas ao AMOR. A frustração de querer e não poder!...Quando tudo parece mostrar que é possível fazer voar o sonho!...Quando o sonho se torna pesadelo!...O melhor é tapar os olhos e não ver; fechar os ouvidos e não ouvir;impedir o pensamento de fluir. Enfim; ser sensato e cair na realidade da vida, mas ficar com a agradável consciência que o sonho poderia ser maravilhoso!...

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

DEUSA DO AMOR



Meu corpo feito de água,
Não gosta da chuva fininha.
No inverno cheio de mágoa,
Foge da neve que se adivinha,
Pede aconchego dum abraço,
Procurando um fogo que é teu.
E sem qualquer embaraço,
No teu Mundo se aqueceu.
Procuro o amor que senti,
Ao colar meu corpo ao teu,
As sensações que então senti,
Num fogo que não ardeu.
Pedi à deusa mais do que devia,
Afrodite chorou por mim,
Por não me dar o que lhe pedia,
Fazer do teu não um belo sim.
A deusa com pena de mim,
No teu corpo então entrou,
Fez do teu não o desejado sim,
E o meu corpo acariciou.
Despiu a túnica vermelha,
Que trazias sobre o corpo,
Ao meu lado se ajoelha,
Dando-me um belo conforto.
Teu corpo nu me fascina,
Olho teus olhos sem pestanejar,
Toda a minha alma se ilumina,
Com o amor que vejo no teu olhar.
Na noite fria de lua cheia,
Com o fogo da lareira a crepitar,
Sinto o sangue ferver na veia
E o coração pronto para amar.
O inverno torna-se ameno.
Vislumbro em ti o eterno altar,
Formado pelo teu corpo moreno.
À deusa dirijo minhas preces,
Ciente do seu grande valor,
Ela despe as minhas vestes,
E amamo-nos com todo o amor.
Lá fora a chuva parou,
Contemplando o sonho meu,
A lua cheia também chorou,
Fazendo do meu encanto o seu.
A Zeus, cobriu com um véu,
Ocultando-o com toda a perícia,
P’ra Afrodite subir ao céu,
Escondendo a sua malícia.
FIM
Carlos Cebolo

2 comentários:

  1. Mais uma vez,li e gostei.Continue por muito tempo amigo Carlos.(Flor Gomes)

    ResponderEliminar
  2. gostei imenso,continue florindo amigo...

    ResponderEliminar