Acerca de mim

A minha foto
Tudo o que quero e não posso, tudo o que posso mas não devo, tudo o que devo mas receio. Queria mudar o Mundo, acabar com a fome, com a tristeza, com a maldade.Promover o bem, a harmonia, intensificar o AMOR. Tudo o que quero mas não posso. Romper com o passado porque ele existe, acabar com o medo porque ele existe, promover o futuro que é incerto.Dar vivas ao AMOR. A frustração de querer e não poder!...Quando tudo parece mostrar que é possível fazer voar o sonho!...Quando o sonho se torna pesadelo!...O melhor é tapar os olhos e não ver; fechar os ouvidos e não ouvir;impedir o pensamento de fluir. Enfim; ser sensato e cair na realidade da vida, mas ficar com a agradável consciência que o sonho poderia ser maravilhoso!...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

MEMÓRIAS


      

Quando era miúdo, pensava!
Que tudo se resolvia então.
Bastava arranjar uma desculpa,
Para obter um perdão.
Uma fisga no bolso dos calções,
Pedrinhas redondas no bolso,
No pensamento recordações,
Dum tempo que se vivia solto.
O ponteiro do tempo não parou,
A vida seguiu em frente,
O tempo passado não voltou!
A idade é agora presente.
Na penumbra do meu quarto
Oiço as horas passar,
Corpo presente, alma solta.
Tudo que no pensamento guardo,
Acordado não quero lembrar!
A dormir o passado volta,
Lembrando o meu legado,
No silêncio do meu quarto.
Dedos ágeis tangem as teclas,
Do Kissange que oiço tocado.
Som que recordam mesclas,
Que lembram a terra amante,
Mistura de sangue constante.
Vêm-me à memória montras vagas,
Terra vermelha em caminhos pisados,
Planos ou terminados em fragas.
Rios, vales e montes imaginados.

FIM
CARLOS CEBOLO
Léxico Angolano
Kissange – Instrumento musical



Sem comentários:

Enviar um comentário